União Seguradora - 55+ (51) 3061-9606

notícias

21 jan Planejamento pra garantir o futuro
21 jan Capitalização
21 jan Você está preparado para a reforma da Previdência?
21 jan 'Aposentadoria como conhecemos hoje vai desaparecer', diz economista
18 jan Menores de idade podem ter seguro de vida? Especialista explica
18 jan Planejamento financeiro para 2019: por onde começar?
18 jan Evolução Digital x Transformação Digital: Qual é a diferença?
18 jan IR 2019: Reúna agora os papéis e tenha chance de receber restituição antes ...
18 jan Menores de idade podem ter seguro de vida? Especialista explica
14 jan O abandono da ideia de fundir Susep e Previc
14 jan Ciência, tecnologia e seguros são novidades em 2019
14 jan Calendário de pagamento do Seguro DPVAT já está disponível na internet
14 jan Proposta de previdência híbrida pode ser boa solução
11 jan Recado para o brasileiro repensar a sua aposentadoria
11 jan Fundos Data Alvo: uma alternativa para os desafios da aposentadoria
11 jan Onde cotar seguro viagem com bons preços; dicas práticas
11 jan Brasileiros aderem aos seguros de vida para proteção da renda familiar
9 jan Planejamento para as despesas de início de ano
9 jan Previdência Privada PGBL ou VGBL: qual a melhor opção para você?
9 jan Fusão de Previc e Susep está suspensa, informa O Globo
9 jan A forma simples e eficaz de fidelizar segurados
7 jan Sobe número de brasileiros que conseguem guardar dinheiro
7 jan CNSP regulamenta mercado de anuidades
7 jan Adesão ao Simples Nacional vai até o fim de janeiro
7 jan Mercado de capitalização projeta um crescimento entre 7% e 8% em 2019
4 jan #RetrospectivaDPVAT: Fique por dentro das principais iniciativas de 2018
4 jan Lucro das seguradoras avança para R$ 13,3 bi até novembro de 2018
4 jan Conjuntura CNseg
4 jan O Mercado de Seguros precisa mudar. Se isso acontecer, será incrível!
28 dez Feliz 2019
14 dez União Seguradora fecha o ano com novos negócios
14 dez Uma parceria de sucesso
14 dez Corretor que buscar cobertura para cliente no mercado internacional em desacordo com a legislação está sujeito a penalidade
14 dez CNseg: resiliência e diversificação mantêm crescimento do setor
4 dez Um Futuro seguro precisa de planejamento
4 dez Prazo para placas do Mercosul no RS será 17 de dezembro
4 dez Inovação surge para tirar profissionais da zona de conforto
4 dez Câmara cria comissão para analisar novo seguro obrigatório
5 nov TR não deve ser aplicada na correção de benefício complementar, decide Segunda Seção
5 nov Combate ao mercado marginal une entidades estaduais e federais
5 nov Seguro pode ser alavanca para infraestrutura no novo governo
5 nov Seguradoras pressionadas com nova abordagem das normas IFRS
31 out Entre os poupadores, 20% pensam na aposentadoria
31 out Controle do dinheiro permite realizar sonhos futuros
31 out Estudo reforça a importância do corretor na venda de seguros
31 out Corretor de Seguros: o principal responsável pelo avanço do mercado segurador
26 out Setor de seguros deve aprender a lidar com a diversidade
26 out ?A longevidade é uma das grandes conquistas da humanidade. É hora de revermos nossos conceitos?
26 out Brasileiros contratam mais seguros para proteção pessoal
26 out Exemplo de Mediação para o Mercado Segurador
24 out Vale a pena investir na previdência privada para o meu filho?
24 out Dia Mundial da Estatística: saiba mais sobre os números do Seguro DPVAT
24 out Aquisições e fusões vão se intensificar no setor de seguros
24 out Cuidado! Você pode perder o seu Simples Nacional em 2019!
22 out Troféu JRS 2018
19 out Em 10 anos, Rio Grande do Sul terá mais idosos do que crianças
19 out Governo deve agir para que empresas tornem acessos IoT mais seguros, diz NEC
19 out A Palavra de Ordem é Inovação
19 out Seguradoras que transformam seus negócios e modelos operacionais podem obter US$ 375 bilhões em novas receitas, afirma estudo da Accenture
16 out Plenário pode votar projeto com novas regras para serviços de seguros
16 out Corretor de seguros não é um intermediário de negócios*
16 out Como escolher uma boa Previdência Privada?
16 out Cada vez mais cedo, brasileiros depositam confiança em previdência privada
11 out Dia da Criança
11 out Dia do Securitário
10 out Planejamento Financeiro e Previdência Privada
10 out Cresce número de consumidores que poupam acima de R$ 50 para os filhos, diz Boa Vista SCPC
10 out Ibovespa cai mais de 2%; investidor repercute declarações de Bolsonaro
10 out Dicas de Planejamento Pessoal
8 out Investidores devem ser conservadores com dinheiro nos próximos 180 dias
8 out Barreira cultural é principal desafio para assinatura eletrônica no Brasil
8 out Seguradoras adotam o uso de tecnologia 'vestível' para criar descontos
8 out Os melhores planos de previdência privada, segundo a Proteste
3 out Seguro de vida empresarial também é vantagem para o executivo
3 out Setor privado prepara projeto de reforma da Previdência para presidente eleito
3 out Congresso destaca oportunidades de negócios e função social dos corretores de vida e previdência privada
3 out CNSeg enviou documento aos presidenciáveis às vésperas das eleições
28 set Seguro de vida em grupo é disseminado, mas pode ser melhor apresentado
28 set Plano VGBL é porta de entrada na previdência
28 set Como negociar ao contratar um plano de previdência?
28 set Assistência digital de Seguradora chega ao Google Assistente e oferece vários serviços exclusivos
24 set Dívida Pública Federal sobe 0,98% em agosto para R$ 3,785 tri, diz Tesouro
24 set Economia de partilha. ?Vamos largar esta ideia de que temos de ser donos de tudo o que usamos? /premium
03/10/2018

Setor privado prepara projeto de reforma da Previdência para presidente eleito


Projeto capitaneado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP propõe uma mudança baseada no projeto atual e outra paralela com base em quatro pilares.

O setor de previdência privada se aliou para propor uma nova reforma da Previdência Social no Brasil ao presidente eleito, de acordo com o presidente da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), Edson Franco. O projeto, que está sendo capitaneado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP (FIPE-USP), propõe uma mudança baseada no projeto atual e outra paralela com base em quatro pilares para aprimorar a aposentadoria oficial: um deles com foco assistencial; outro similar ao INSS e com contribuição; capitalização individual, podendo usar parte dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e, por último, o privado.
Na segunda-feira, 1º, o ex-presidente do Banco Central, Arminio Fraga e o economista Paulo Tafner também apresentaram uma proposta de reforma da Previdência, 'independente e apartidária', segundo os autores. De acordo com cálculos de Tafner, o projeto, se implementado, permitiria uma economia de R$ 1,3 trilhão em dez anos - superior ao previsto no texto aprovado pelo governo Michel Temer na comissão especial que tratou do tema no Congresso Nacional. 
“Sem Previdência, a retomada fiscal não será possível diante do déficit por conta do gasto com Previdência e, mais do que isso, a projeção de gasto futuro em função aumento da longevidade. O encaminhamento da reforma da Previdência é absolutamente necessário”, destacou Edson Franco, em coletiva de imprensa, realizada nesta quarta-feira, 3.
A FenaPrevi, em parceria com a Confederação das Seguradoras (CNseg) e a Associação Brasileira das Entidades de Previdência Complementar (Abrapp), defendem que a reforma da Previdência ocorra em duas frentes simultâneas. De um lado, o ajuste na Previdência atual em moldes semelhantes ao que já foi proposto no governo de Michel Temer e acabou não sendo aprovado, com estabelecimento de idade mínima para aposentadoria e desacumulação benefícios, e do outro um novo sistema voltado a novos trabalhadores, cujo estudo e cálculos estão sendo tocados pelo professor da Fipe, Hélio Zylberstajn.
Segundo Franco, o projeto do setor privado estará concluído até o final deste ano para ser entregue na sequência ao presidente eleito. “A novidade aqui é que defendemos também o encaminhamento de uma frente paralela, criando desde já uma nova Previdência para novos trabalhadores nascidos a partir de 2005 de forma que o novo sistema esteja baseado em quatro pilares”, explicou o presidente da FenaPrevi.
O primeiro pilar, segundo ele, seria de renda básica ao idoso, natureza assistencial e não privada, financiada por impostos e não contribuições. Já o segundo teria formato similar ao do INSS, com objetivo de distribuição de renda com contribuição por parte do usuário e teto reduzido. “A ideia é que a somatória da renda dos dois pilares seja equivalente à renda média brasileira hoje, de R$ 2,2 mil e cobre cerca 80% da população, representando uma taxa de reposição de 100% da renda média do brasileiro”, disse Franco.
Já o terceiro pilar, conforme o projeto de reforma da Previdência proposto pela iniciativa privada, visa a atender as pessoas que ganham acima R$ 2,2 mil e tem como base um sistema de capitalização individual. Aqui, segundo Franco, uma das fontes de financiamento poderia ser o próprio FGTS, sem criação de custo adicional para trabalhadores e empresas.
Apesar de concorrer com outras frentes como o financiamento imobiliário, por exemplo, o presidente da FenaPrevi explicou que esse recurso é aportado pelas empresas como recurso em contas individualizadas e que o uso do FGTS seria apenas para novos participantes. São, conforme ele, cerca de R$ 90 bilhões de orçamento anual do fundo. Considerando que 10% das pessoas estão ingressando no mercado de trabalho são mais ou menos R$ 9 bilhões.
“No novo sistema poderíamos usar os ingressos de novos entrantes para financiar um regime de capitalização. Não estamos falando do estoque, mas do fluxo. Não vamos propor uma migração, mas a possibilidade de aproveitar o recurso que já é aportado na conta individual dos trabalhadores para ser utilizado em favor da poupança previdenciária para uma aposentadoria futura”, exemplificou Franco, acrescentando que no quarto pilar, que compreende a previdência suplementar, nada muda.

Fonte: Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo
logotipo zepol