União Seguradora - 55+ (51) 3061-9606

notícias

17 jul Aspecir Previdência completa 82 anos com os melhores resultados do mercado
15 jul Aspecir Previdência tem o maior rendimento em fundos de renda fixa nos últimos tempos
15 jul Arquivos de mídia no WhatsApp e Telegram podem não ser tão seguros
15 jul Benefício menor exigirá planejamento financeiro de famílias
15 jul INSS: É possível ter mais de uma aposentadoria?
5 jul Caderno Finanças Mais, do Estadão, traz especial sobre empresas do setor financeiro, com destaque para o setor segurador
5 jul Mais acessíveis, seguros de vida ganham espaço no mercado
5 jul Susep promete mais ?espaço? para o mercado crescer
1 jul União amplia relacionamento com MTG/RS
28 jun A 88i é um app de serviços digitais para a contratação de seguros e assistências
28 jun Liquidação extrajudicial não autoriza instituição a levantar valores depositados em cumprimento de sentença
28 jun Para cálculo da renda inicial de previdência complementar, prevalecem regras da época da aposentadoria
28 jun "Há 4 anos fiz um VGBL para minha filha e todo mês aplico R$ 130. Vale a pena manter esse investimento?"
24 jun União Seguradora contempla MG com prêmio de Capitalização
24 jun Saiba por quanto tempo guardar comprovantes e notas fiscais
24 jun Ecossistemas digitais: juntos vamos mais longe
24 jun Banco digital acelera expansão e testa fôlego do segmento
21 jun Setor segurador registra alta de 4,9% no acumulado até abril
21 jun Susep anuncia avanços expressivos para a inovação em seguros
21 jun CIAB: mercado segurador vive o estágio de Reinvenção Digital
21 jun Os aspectos da Nova Previdência e os impactos na sociedade e no seguro
19 jun Setor segurador registra alta de 4,9% no acumulado até abril
19 jun Aumenta participação de ?Insurtechs? no setor de seguros
19 jun Previdência Privada: até qual idade aderir?
18 jun União entrega mais um prêmio de capitalização
17 jun Créditos de PIS e COFINS ? Insumos EPIs, Emplacamento e Seguro
17 jun O corretor não é o vilão. O vilão não está na comissão
17 jun Aposentar somente pelo INSS é suficiente? Saiba mais sobre a Previdência Privada
17 jun 65% das pessoas que guardam dinheiro escolhem poupança, diz pesquisa; medo e costume estão entre as justificativas
12 jun Grupo Aspecir em Belo Horizonte
7 jun Presidente do Grupo Aspecir recebe Comenda Metropolitana
7 jun União Seguradora entrega prêmio
5 jun Uso da tecnologia traz benefícios para o mercado de seguros
5 jun Susep alerta Corretor sobre Riscos Excluídos
5 jun Instituições financeiras podem explorar sistemas bancários integrados para oferecer serviços digitais seguros, diz Unisys
5 jun A Importância da Importância do Corretor de Seguros
24 mai No mês da conscientização no trânsito, confira dicas para evitar acidentes
24 mai Entenda como funciona a previdência complementar no Brasil
24 mai Setor tem números positivos até março de 2019 e provisões técnicas avançam 10%
24 mai Susep nomeia diretores
20 mai Combate a fraude no Seguro DPVAT
20 mai Previdência privada: reservas atingem R$ 857 bilhões
20 mai Previdência aberta terá R$ 1 trilhão em patrimônio até o final deste ano
20 mai Empresas com investimentos represados
17 mai Diretor comercial do Grupo MBM assume mandato na FenaPrevi
17 mai Setor de seguros brasileiro vê explosão de startups
17 mai Seguro contra inadimplência tem alta de 25,5% no primeiro trimestre do ano
17 mai Como criar aplicativos 100% seguros?
15 mai ?A empresa onde trabalho tem plano de previdência privada com coparticipação. Vale a pena??
15 mai Maio Amarelo: conheça a campanha nacional de 2019
15 mai China vai abrir ainda mais os setores bancários e de seguros
15 mai Nova norma para insurtechs deve sair em 30 dias, diz Solange Vieira, da Susep
3 mai Insurance, conheça todos os detalhes sobre os seguros
3 mai Seguradora Líder promove encontro com Sindicatos das Seguradoras de todo o Brasil
3 mai Mitos e verdades sobre a previdência privada
3 mai Previc e Susep apresentam propostas para fusão das reguladoras de previdência
26 abr Levy diz que reforma pode favorecer investimentos em infraestrutura
26 abr Reforma aumenta a procura por previdência privada no Vale do Paraíba
26 abr Reforma da Previdência reduz subsídios para ricos, diz secretário
24 abr Cotação Premiada de Páscoa
23 abr Previdência com seguro?
23 abr IR 2019: Seguro obrigatório de carro DPVAT é isento, mas deve ser informado
23 abr Aproveite a segunda-feira para investir e planejar seu futuro
23 abr Ramo de pessoas deve impulsionar crescimento do mercado de seguros em 2019
18 abr Plano de previdência privada é impenhorável, decide TRT-2
18 abr Tem previdência privada? Saiba como declarar valores no Imposto de Renda
18 abr Procura por seguros cresce no primeiro trimestre e demonstra preocupação do brasileiro com a insegurança
18 abr Crescimento do seguro de vida no setor audiovisual
15 abr Executivos explicam segredo para crescimento de 171,19% da União Seguradora
12 abr Volta à Câmara projeto que exige de corretor de seguros habilitação da Susep
12 abr Uma providência para a previdência privada
12 abr Você conhece os benefícios de investir em uma previdência privada?
12 abr O acordão da Previdência
10 abr Relatório Anual 2018 da Seguradora Líder é destaque na mídia
10 abr Seguro de vida: STJ afirma que seguradoras devem provar má-fé de seus clientes para recusar benefício
10 abr Aposentadoria Privada x Aposentadoria Pública: Qual escolher?
10 abr Minoria poupa ou tem investimento para a velhice, aponta Datafolha - Folha de S. Paulo
8 abr Seguradora Líder promove treinamentos e encontros com foco no atendimento aos beneficiários do Seguro DPVAT
8 abr O seguro é mais seguro
8 abr Diretores da Susep são exonerados
8 abr Lei de proteção de dados para o mercado de seguros
5 abr Os benefícios de investir em uma previdência privada
5 abr Mercado cresceu 4,4% no primeiro bimestre
5 abr Indenização do seguro precisa ser declarada no imposto de renda
5 abr Superintendente da Susep diz que mercado é ?gigante?
4 abr União Seguradora prestigia lançamento do Seguro Viagem da Lato Seguros
2 abr População com mais de 60 cresce e movimenta cerca de R$ 1 trilhão
2 abr Valor publica especial sobre Previdência Aberta
2 abr SUSEP divulga novas regras para segmento de seguro
2 abr Você conhece os benefícios de investir em uma previdência privada?
18 mar Pesquisa diz que 56% dos brasileiros vão contar apenas com o INSS
18 mar Como começar a investir em uma renda variável?
18 mar Devo ficar no plano corporativo de previdência após demissão?
18 mar IFRS 17 promove transformação no segmento de seguros
13 mar Seguro de vida é plano de risco que mais cresce em razão da violência
13 mar Previdência privada perdeu 224 mil participantes
13 mar Empresários projetam ano com avanço lento em encontro no Marcas de Quem Decide
13 mar Previdência privada é opção para quem planeja bem o futuro
8 fev As principais tendências e expectativas de crescimento do mercado de seguros para 2019
8 fev Planejamento da aposentadoria: muito além da reforma
8 fev Mercado de seguros tem lucro de R$ 14,7 bilhões
8 fev Proposta da previdência concede aposentadoria básica de até 700 reais para todas as pessoas
6 fev Como garantir seu futuro investindo na previdência privada?
6 fev Com reforma da Previdência como prioridade, governo adia promessas
6 fev Nove a cada dez brasileiros aposentados dependem do INSS pra sobreviver
6 fev Proposta para a Previdência prevê aposentadoria integral para servidor só aos 65 anos
4 fev Mercado livre de energia busca crescimento
16/07/2018

Previdência: o empresário e a aposentadoria pelo INSS


O sistema de contribuinte individual lhe garante esse direito. Não é porque você não é mais funcionário CLT, com carteira de trabalho assinada, que deve deixar de lado qualquer relação com a Previdência Social. Descobri esses dias – um cunhado meu me contou – que mesmo sendo empresário, eu posso e devo continuar contribuindo com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) para conseguir ganhar aposentadoria e outros benefícios sociais, além de proteger minha empresa de eventuais fiscalizações da Receita Federal.

Descobri isso enquanto conversava com minha família sobre o meu futuro e sobre a insegurança de que se acontecesse um acidente comigo, todos os meus dependentes teriam sua principal verba interrompida, o que impactaria diretamente em nosso padrão de vida. Dizia que achava importante pagar uma previdência privada e até um seguro de vida, agora que tenho minha própria empresa e que não conto mais com um empregador resolvendo essa questão do INSS para mim. Este meu cunhado, que é advogado, quem diria, previdenciário, me falou que eu poderia fazer as duas coisas: investir em uma aposentadoria privada e em um seguro de vida, além de me tornar um contribuinte e segurado pela Previdência Pública.

Escreverei dois posts, então, sobre o tema. Este primeiro aqui sobre aposentadoria com INSS, sua obrigatoriedade e benefícios previstos. Um segundo, que você lerá daqui a uma semana, mais ou menos, sobre a estratégia privada. Espero que o que estou estudando ajude você em sua escolha!

A Obrigatoriedade da Contribuição para o INSS:

Desde 1999, com a publicação da lei 9.876, o INSS passou a considerar empresários, trabalhadores autônomos ou trabalhadores equiparados a um trabalhador autônomo (como os profissionais liberais), como contribuintes individuais.

Eu mesmo tinha uma dúvida sobre se eu poderia escolher ou não me tornar um contribuinte, se isso era optativo. Para minha surpresa, este meu cunhado, que é um bom advogado previdenciário, esclareceu que exercer qualquer tipo de atividade remunerada e não recolher impostos para a previdência social pode fazer com que, em uma fiscalização da Receita Federal, minha empresa tenha que pagar multas e recolher todos os valores que a Receita determinar como adequados para a Previdência Social.

Apesar de ficar surpreso com a informação, mandei logo a pergunta que todos nós empresários faríamos: “Então quem não é obrigado a pagar para receber a aposentadoria pelo INSS?”. Ele respondeu: “Somente donas de casa, síndicos não remunerados, estudantes, estagiários, presidiários que não exercem atividades remuneradas e brasileiros que moram no exterior. Todos eles poderiam contribuir de forma facultativa, mas os empresários e autônomos têm a obrigação de contribuir para evitar multas e fiscalizações”.

Depois dessa resposta, fui me informar sobre como entrar no regime previdenciário e regularizar minha situação.

Entrando no regime

Para entrar no regime da Previdência Social, o empresário deve se tornar um Contribuinte Individual. Para isso, ele deve se inscrever nas Agências da Previdência Social, pela Central de Atendimento através do telefone 135 ou efetuando o primeiro recolhimento em GPS utilizando o número do PIS/PASEP.

Como aumentar o retorno que a contribuição pode me trazer?

Há um detalhe que pouca gente conhece e que descobri ao falar com meu contador. No caso dos contribuintes facultativos (aqueles casos que citei acima), não é permitido que realizem o pagamento de contribuições relativas a meses anteriores à data de inscrição na previdência. Já para os contribuintes obrigatórios, o ideal seria fazer as contribuições anteriores, pois só isso assegura que a fiscalização não multe a empresa.

Outro ponto que meu contador alertou foi o seguinte: Quando o empresário exerce atividade remunerada em sua própria empresa, ele recebe o chamado pró-labore, que funciona como uma espécie de salário dos sócios ou donos de empresas (sobre o qual já falei em outro post), o valor desse pró-labore deve ser incluso na folha de pagamento da empresa. Isso fará com que a empresa pague um percentual de 20% para o governo sobre o valor total de sua folha de pagamento, exceções feitas às empresas optantes pelo Simples Nacional, Micro Empreendedores individuais (MEI) ou Plano Simplificado que contribuem com taxas mensais e únificadas. Legal levar em conta que no valor do pró-labore repassado para o sócio ou dono da empresa incide contribuição previdenciária (11%) da pessoa física.

Caso o empresário não tenha um pró-labore e só receba um valor sobre os dividendos, ele deverá contribuir mais, arcando com 20% de todos os seus ganhos em tributos para o INSS. Enquanto, ao incluir seu pró-labore na folha salarial da empresa, o máximo de seu imposto para o INSS seria de R$ 513,01, já que o teto da previdência atual está determinado em R$ 4.663,75 (observe que este valor é corrigido anualmente). No meu caso, avaliei junto ao meu contador que incluir o meu pró-labore na folha de pagamento era o melhor meio para ter um maior retorno sobre o tempo de contribuição com relação ao momento em que eu pendurar as chuteiras.
Meu cunhado também me lembrou de mais uma questão: “O valor que você receberá na aposentadoria não é sobre todo tempo de contribuição. O cálculo que o INSS faz leva em conta a média aritmética de todas as suas contribuições realizadas a partir de 1994, excluindo 20% dos valores menores e considerando depois o fator previdenciário”.

Achei uma reportagem bem interessante do Agora que explica isso. Vou compartilhar com vocês: “para definir o valor do benefício que será pago, a Previdência pega todos os salários recebidos pelo trabalhador desde 1994, exclui os 20% menores e calcula a média. Com valor e com a nova tabela do fator previdenciário (que reduz os benefícios de quem se aposenta mais cedo), é possível concluir se o segurado estará no topo dos pagamentos do INSS. Um trabalhador com 64 anos de idade e 44 de contribuição precisa de uma média salarial de R$ 3.209,78 para ganhar o teto.”

Só recebo a aposentadoria ou tenho direito a outros benefícios?

Essa foi a última pergunta que fiz tanto para o meu cunhado quanto para meu contador.  Eles responderam que ao me tornar um segurado obrigatório, todos os benefícios a que os trabalhadores com carteira assinada têm direito são estendidos para mim, ou seja, eu teria direito a aposentadoria por invalidez, por tempo de contribuição, idade ou especial (caso a pessoa trabalhe com agentes químicos, físicos, biológicos e/ou nocivos à sua saúde); ou poderia solicitar auxílio-doença, auxílio-acidente ou até auxílio-reclusão, caso fosse preso; e minha família teria direito à pensão por morte.

Isso é apenas para exemplificar a história. No fim das contas, o melhor é falar com seu contador, para ele ver sua situação específica e te orientar de acordo com a sua realidade. Eu falarei ainda mais com o meu!

Fonte wwwguiaempreendedor.com
logotipo zepol