União Seguradora - 55+ (51) 3061-9606

notícias

5 nov TR não deve ser aplicada na correção de benefício complementar, decide Segunda Seção
5 nov Combate ao mercado marginal une entidades estaduais e federais
5 nov Seguro pode ser alavanca para infraestrutura no novo governo
5 nov Seguradoras pressionadas com nova abordagem das normas IFRS
31 out Entre os poupadores, 20% pensam na aposentadoria
31 out Controle do dinheiro permite realizar sonhos futuros
31 out Estudo reforça a importância do corretor na venda de seguros
31 out Corretor de Seguros: o principal responsável pelo avanço do mercado segurador
26 out Setor de seguros deve aprender a lidar com a diversidade
26 out ?A longevidade é uma das grandes conquistas da humanidade. É hora de revermos nossos conceitos?
26 out Brasileiros contratam mais seguros para proteção pessoal
26 out Exemplo de Mediação para o Mercado Segurador
24 out Vale a pena investir na previdência privada para o meu filho?
24 out Dia Mundial da Estatística: saiba mais sobre os números do Seguro DPVAT
24 out Aquisições e fusões vão se intensificar no setor de seguros
24 out Cuidado! Você pode perder o seu Simples Nacional em 2019!
22 out Troféu JRS 2018
19 out Em 10 anos, Rio Grande do Sul terá mais idosos do que crianças
19 out Governo deve agir para que empresas tornem acessos IoT mais seguros, diz NEC
19 out A Palavra de Ordem é Inovação
19 out Seguradoras que transformam seus negócios e modelos operacionais podem obter US$ 375 bilhões em novas receitas, afirma estudo da Accenture
16 out Plenário pode votar projeto com novas regras para serviços de seguros
16 out Corretor de seguros não é um intermediário de negócios*
16 out Como escolher uma boa Previdência Privada?
16 out Cada vez mais cedo, brasileiros depositam confiança em previdência privada
11 out Dia da Criança
11 out Dia do Securitário
10 out Planejamento Financeiro e Previdência Privada
10 out Cresce número de consumidores que poupam acima de R$ 50 para os filhos, diz Boa Vista SCPC
10 out Ibovespa cai mais de 2%; investidor repercute declarações de Bolsonaro
10 out Dicas de Planejamento Pessoal
8 out Investidores devem ser conservadores com dinheiro nos próximos 180 dias
8 out Barreira cultural é principal desafio para assinatura eletrônica no Brasil
8 out Seguradoras adotam o uso de tecnologia 'vestível' para criar descontos
8 out Os melhores planos de previdência privada, segundo a Proteste
3 out Seguro de vida empresarial também é vantagem para o executivo
3 out Setor privado prepara projeto de reforma da Previdência para presidente eleito
3 out Congresso destaca oportunidades de negócios e função social dos corretores de vida e previdência privada
3 out CNSeg enviou documento aos presidenciáveis às vésperas das eleições
28 set Seguro de vida em grupo é disseminado, mas pode ser melhor apresentado
28 set Plano VGBL é porta de entrada na previdência
28 set Como negociar ao contratar um plano de previdência?
28 set Assistência digital de Seguradora chega ao Google Assistente e oferece vários serviços exclusivos
24 set Dívida Pública Federal sobe 0,98% em agosto para R$ 3,785 tri, diz Tesouro
24 set Economia de partilha. ?Vamos largar esta ideia de que temos de ser donos de tudo o que usamos? /premium
24 set XP lança robô para recomendar investimentos
24 set Competição em taxas é acirrada nos bancos
17 set União Seguradora comemora 105 anos no Acampamento Farroupilha
17 set Previdência: um dia você vai precisar dela
17 set Mercado segurador cresce apesar da instabilidade política
17 set Primeira turma do Programa Recomeço, desenvolvido pela Seguradora Líder, conclui qualificação
14 set União Seguradora comemora 105 anos.
12 set Seguro DPVAT: de janeiro a julho, Seguradora Líder identificou mais de 6,7 mil pedidos indevidos
12 set Confira os estados onde há vencimento do Seguro DPVAT no mês de setembro
12 set Resseguradores se reúnem em Mônaco; Swiss Re divulga estudo
12 set Projeto de Lei atribui novas responsabilidades à autorreguladora do mercado
10 set 'Pé de meia': confira o melhor investimento para cada fase da vida
10 set Processos Ágeis transformam modelo de negócios no setor de seguros
10 set 5 diferenciais para o corretor de seguros dos dias de hoje
10 set Transformação digital impõe desafios para lideranças do setor de tecnologia das seguradoras
4 set Reforma política coloca o benefício da previdência em pauta
4 set Segundo estudo, apenas 19% dos Brasileiros tem seguro de vida. Especialista dá dicas e ensina corretores de todo Brasil a escalarem seus negócios
4 set Poupança ainda é o investimento preferido do brasileiro
4 set Como o envelhecimento mudou nos últimos 20 anos
4 set Rombo da Previdência é de R$ 35 milhões e o déficit mensal do Paço atinge R$ 20 mi?
29 ago Transformação digital nos seguros: o suco de laranja e a redescoberta do risco
29 ago Mitos e Verdades da Previdência
29 ago Seguro ambiental obrigatório aprovado pela nova lei será um diferencial estratégico para as empresas
29 ago Apenas 18% dos brasileiros pouparam em junho, diz indicador da CNDL
24 ago Confira os investimentos que podem ajudar você a ter uma aposentadoria tranquila
24 ago Por que o brasileiro não pensa em aposentadoria; e como investir para chegar lá
24 ago Projeto permite que corretores de seguros atuem em licitações públicas
24 ago 5 sinais de que o mercado de ICO voltará a crescer
22 ago Que aposentadoria escolher
22 ago Setor cresce 1,7% no primeiro semestre
22 ago Corretores e seguradoras terão novas regras para guarda de documentos
28/09/2018

Plano VGBL é porta de entrada na previdência


Fundos dominam a indústria, mas especialistas ressaltam que é preciso cuidado na escolha da tributação

 
Fiel. Sérgio Dortas tem um VGBL há 15 anos: “Tenho três filhos, todos com VGBL. E meus seis netos logo terão seus planos também”

Concentrando mais de 90% de uma indústria cujo patrimônio já chega a R$ 775,6 bilhões, o plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) é a porta de entrada dos brasileiros que decidem poupar por conta própria para a aposentadoria. Apesar de não contar com o benefício das deduções tributárias como o PGBL, o VGBL atende a certos perfis de investidores e também ajuda no planejamento tributário.

Em geral, o VGBL é indicado para quem é isento de Imposto de Renda (IR) ou faz sua declaração anual pelo modelo simplificado. Dessa forma, costuma ser a escolha de jovens profissionais ou pessoas sem dependentes. Isso porque, diferentemente do PGBL, os aportes realizados no VGBL não podem ser descontados da renda sobre a qual incidirá o IR. Por outro lado, no momento de resgatar os recursos acumulados, o IR incide apenas sobre o dinheiro que rendeu, não sobre a contribuições dos participantes.

— No fundo, o VGBL acaba sendo muito parecido com um fundo de investimento tradicional, no qual também não se pode deduzir do IR, que incide sobre os rendimentos — aponta Luis Felipe Maciel, diretor regional da Mongeral Aegon.

Mas o VGBL também tem benefícios tributários que não são encontrados nos fundos de investimento. Assim como o PGBL, ele não sofre a mordida do IR semestral, o chamado “come-cotas”, que captura 15% do rendimento de fundos de investimento tradicionais em maio e novembro. A longo prazo, segundo especialistas, a diferença de rentabilidade acumulada pode ser significativa.

Além disso, o VGBL é uma ferramenta para aqueles que já esgotaram o diferimento tributário proporcionado pelo PGBL. Afinal, só é possível usar na declaração do IR investimentos em PGBL que somem no máximo 12% da renda bruta anual do contribuinte.

— Depois de atingir esse limite, o cliente que quiser poupar mais para a velhice pode abrir um fundo VGBL, para continuar contribuindo — observa Flávio Lemos, sócio da Trader Brasil Investimentos.
Depois de optar entre VGBL ou PGBL, exige-se do participante uma outra escolha, de consequência tributária: a qual tabela de cobrança de impostos sua previdência privada será submetida? Elas são duas, a regressiva e a progressiva.

INDÚSTRIA EM EXPANSÃO

De acordo com especialistas, a tabela regressiva é ideal para quem está disposto a investir por muito tempo. Isso porque a alíquota cai gradualmente ao longo do tempo em que o dinheiro está aplicado. Por essa tabela, quem resgata em menos de dois anos, por exemplo, paga 35%, alíquota que chega a ser superior aos 27,5% sobre a renda cobrados no topo da tabela de IR. Quem fica mais de dez anos, no entanto, paga imposto de apenas 10%.

Já a tabela progressiva segue as alíquotas de IR que valem para os salários e é indicada àqueles que podem ter de sacar os recursos a curto prazo ou que sabem que terão no futuro um benefício mensal de valor baixo.

— A questão da tabela de tributação, progressiva ou regressiva, tem de ser decidida visando ao prazo. Como regra geral, se você vai deixar o dinheiro aplicado por mais de sete anos e meio, oito anos, a regressiva é muito vantajosa — explica Marcelo Wagner, diretor financeiro da Brasilprev. — Já a tabela progressiva é indicada para quem tiver dúvidas sobre a necessidade de resgatar o investimento a curto prazo ou se, lá na frente, a pessoa for resgatar valores sobre os quais incidam alíquotas baixas de Imposto de Renda.

Na previdência privada, o cliente tem total liberdade para transferir seus recursos para outro plano sem pagar taxas ou impostos, sendo também possível migrar da tabela progressiva para a regressiva. O contrário, no entanto, é vedado. Por isso, a escolha da tabela deve ser feita de forma consciente, alertam os especialistas. Mas a escolha do tipo de plano tem consequências ainda mais perenes: não é permitido mudar de VGBL para PGBL, nem vice-versa.

Desproporcionalmente maiores que os PGBL, são os planos VGBL que têm puxado o crescimento da indústria de previdência privada. Segundo números da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), só este ano os fundos de previdência captaram R$ 13,5 bilhões junto a seus participantes. A previdência privada já corresponde a 17,3% de todo o patrimônio aplicado em fundos de investimentos no país. O crescimento tem sido puxado pelas discussões sobre a reforma da Previdência e pelo fato de o segmento ainda ser considerado jovem, havendo ocorrência limitada de saques aos fundos hoje.

MUDANÇA DE MENTALIDADE

E os planos VGBL têm aumentado sua fatia na indústria. Entre janeiro e maio, de acordo com a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), os VGBL atraíram 91,3% dos prêmios e contribuições da indústria, contra 87,6% em 2013.

Uma mudança geracional no que diz respeito à educação financeira também estimula o apetite pela previdência.

— Meu pai se arrepende de não ter feito um plano de previdência. Se ele tivesse feito lá atrás, hoje teria acesso a uma segunda renda. Por isso, não quis perder tempo e fiz meu plano logo após sair da faculdade — conta a dentista Ana Luiza Rega, de 26 anos. — Sou autônoma, então essa é uma forma de investimento que encontrei para ter uma garantia no futuro.

Ela destina, hoje, 10% de sua renda mensal a um fundo VGBL. Quando abriu o fundo, sequer declarava IR, o que justificou sua escolha pelo VGBL.

E quem foi previdente lá atrás transmite com maior facilidade o planejamento às próximas gerações.

— As minhas duas grandes seguranças são os investimentos em imóveis e em VGBL, mas só neste último eu tenho liquidez, podendo resgatar o dinheiro a qualquer momento. Tenho três filhos, todos com VGBL. E meus seis netos logo terão seus planos também — garante Sérgio Dortas, de 67 anos, que tem um VGBL há 15.
 
Fonte: Adriana Lorete / Agência O Globo

Leia mais: https://oglobo.globo.com/economia/plano-vgbl-porta-de-entrada-na-previdencia-23105260#ixzz5SPUTe8nN
stest
logotipo zepol