União Seguradora - 55+ (51) 3061-9606

notícias

2 abr Você conhece os benefícios de investir em uma previdência privada?
18 mar Pesquisa diz que 56% dos brasileiros vão contar apenas com o INSS
18 mar Como começar a investir em uma renda variável?
18 mar Devo ficar no plano corporativo de previdência após demissão?
18 mar IFRS 17 promove transformação no segmento de seguros
13 mar Seguro de vida é plano de risco que mais cresce em razão da violência
13 mar Previdência privada perdeu 224 mil participantes
13 mar Empresários projetam ano com avanço lento em encontro no Marcas de Quem Decide
13 mar Previdência privada é opção para quem planeja bem o futuro
8 fev As principais tendências e expectativas de crescimento do mercado de seguros para 2019
8 fev Planejamento da aposentadoria: muito além da reforma
8 fev Mercado de seguros tem lucro de R$ 14,7 bilhões
8 fev Proposta da previdência concede aposentadoria básica de até 700 reais para todas as pessoas
6 fev Como garantir seu futuro investindo na previdência privada?
6 fev Com reforma da Previdência como prioridade, governo adia promessas
6 fev Nove a cada dez brasileiros aposentados dependem do INSS pra sobreviver
6 fev Proposta para a Previdência prevê aposentadoria integral para servidor só aos 65 anos
4 fev Mercado livre de energia busca crescimento
4 fev Começa a contagem regressiva para declarar Imposto de Renda
4 fev Reforma da Previdência: por que 4 países da América Latina revisam modelo de capitalização, prometido por Guedes ...
4 fev Mercado reduz expectativa de alta do IPCA para 2019
4 fev Bolsas da Europa fecham sem sinal único, em dia de foco em empresas
1 fev Funpresp: qual a melhor decisão?
1 fev Imposto de Renda 2019: O leão está chegando!
1 fev O custo da herança: seguro de vida auxilia herdeiros a pagarem despesas para ter acesso ao dinheiro
1 fev Corretor de Seguros deve ficar atento em algumas situações para não ser punido
23 jan Seguros podem ser a ?Tábua de Salvação? em questões de saúde
23 jan Susep preparada para novo Brasil
23 jan Conheça algumas razões para contratar um seguro de vida
21 jan Planejamento pra garantir o futuro
21 jan Capitalização
21 jan Você está preparado para a reforma da Previdência?
21 jan 'Aposentadoria como conhecemos hoje vai desaparecer', diz economista
18 jan Menores de idade podem ter seguro de vida? Especialista explica
18 jan Planejamento financeiro para 2019: por onde começar?
18 jan Evolução Digital x Transformação Digital: Qual é a diferença?
18 jan IR 2019: Reúna agora os papéis e tenha chance de receber restituição antes ...
18 jan Menores de idade podem ter seguro de vida? Especialista explica
14 jan O abandono da ideia de fundir Susep e Previc
14 jan Ciência, tecnologia e seguros são novidades em 2019
14 jan Calendário de pagamento do Seguro DPVAT já está disponível na internet
14 jan Proposta de previdência híbrida pode ser boa solução
11 jan Recado para o brasileiro repensar a sua aposentadoria
11 jan Fundos Data Alvo: uma alternativa para os desafios da aposentadoria
11 jan Onde cotar seguro viagem com bons preços; dicas práticas
11 jan Brasileiros aderem aos seguros de vida para proteção da renda familiar
9 jan Planejamento para as despesas de início de ano
9 jan Previdência Privada PGBL ou VGBL: qual a melhor opção para você?
9 jan Fusão de Previc e Susep está suspensa, informa O Globo
9 jan A forma simples e eficaz de fidelizar segurados
7 jan Sobe número de brasileiros que conseguem guardar dinheiro
7 jan CNSP regulamenta mercado de anuidades
7 jan Adesão ao Simples Nacional vai até o fim de janeiro
7 jan Mercado de capitalização projeta um crescimento entre 7% e 8% em 2019
4 jan #RetrospectivaDPVAT: Fique por dentro das principais iniciativas de 2018
4 jan Lucro das seguradoras avança para R$ 13,3 bi até novembro de 2018
4 jan Conjuntura CNseg
4 jan O Mercado de Seguros precisa mudar. Se isso acontecer, será incrível!
28 dez Feliz 2019
14 dez União Seguradora fecha o ano com novos negócios
14 dez Uma parceria de sucesso
14 dez Corretor que buscar cobertura para cliente no mercado internacional em desacordo com a legislação está sujeito a penalidade
14 dez CNseg: resiliência e diversificação mantêm crescimento do setor
4 dez Um Futuro seguro precisa de planejamento
4 dez Prazo para placas do Mercosul no RS será 17 de dezembro
4 dez Inovação surge para tirar profissionais da zona de conforto
4 dez Câmara cria comissão para analisar novo seguro obrigatório
5 nov TR não deve ser aplicada na correção de benefício complementar, decide Segunda Seção
5 nov Combate ao mercado marginal une entidades estaduais e federais
5 nov Seguro pode ser alavanca para infraestrutura no novo governo
5 nov Seguradoras pressionadas com nova abordagem das normas IFRS
31 out Entre os poupadores, 20% pensam na aposentadoria
31 out Controle do dinheiro permite realizar sonhos futuros
31 out Estudo reforça a importância do corretor na venda de seguros
31 out Corretor de Seguros: o principal responsável pelo avanço do mercado segurador
26 out Setor de seguros deve aprender a lidar com a diversidade
26 out ?A longevidade é uma das grandes conquistas da humanidade. É hora de revermos nossos conceitos?
26 out Brasileiros contratam mais seguros para proteção pessoal
26 out Exemplo de Mediação para o Mercado Segurador
24 out Vale a pena investir na previdência privada para o meu filho?
24 out Dia Mundial da Estatística: saiba mais sobre os números do Seguro DPVAT
24 out Aquisições e fusões vão se intensificar no setor de seguros
24 out Cuidado! Você pode perder o seu Simples Nacional em 2019!
22 out Troféu JRS 2018
19 out Em 10 anos, Rio Grande do Sul terá mais idosos do que crianças
19 out Governo deve agir para que empresas tornem acessos IoT mais seguros, diz NEC
19 out A Palavra de Ordem é Inovação
19 out Seguradoras que transformam seus negócios e modelos operacionais podem obter US$ 375 bilhões em novas receitas, afirma estudo da Accenture
16 out Plenário pode votar projeto com novas regras para serviços de seguros
16 out Corretor de seguros não é um intermediário de negócios*
16 out Como escolher uma boa Previdência Privada?
16 out Cada vez mais cedo, brasileiros depositam confiança em previdência privada
11 out Dia da Criança
11 out Dia do Securitário
10 out Planejamento Financeiro e Previdência Privada
10 out Cresce número de consumidores que poupam acima de R$ 50 para os filhos, diz Boa Vista SCPC
10 out Ibovespa cai mais de 2%; investidor repercute declarações de Bolsonaro
10 out Dicas de Planejamento Pessoal
8 out Investidores devem ser conservadores com dinheiro nos próximos 180 dias
8 out Barreira cultural é principal desafio para assinatura eletrônica no Brasil
8 out Seguradoras adotam o uso de tecnologia 'vestível' para criar descontos
8 out Os melhores planos de previdência privada, segundo a Proteste
3 out Seguro de vida empresarial também é vantagem para o executivo
3 out Setor privado prepara projeto de reforma da Previdência para presidente eleito
3 out Congresso destaca oportunidades de negócios e função social dos corretores de vida e previdência privada
3 out CNSeg enviou documento aos presidenciáveis às vésperas das eleições
28 set Seguro de vida em grupo é disseminado, mas pode ser melhor apresentado
28 set Plano VGBL é porta de entrada na previdência
28 set Como negociar ao contratar um plano de previdência?
28 set Assistência digital de Seguradora chega ao Google Assistente e oferece vários serviços exclusivos
24 set Dívida Pública Federal sobe 0,98% em agosto para R$ 3,785 tri, diz Tesouro
24 set Economia de partilha. ?Vamos largar esta ideia de que temos de ser donos de tudo o que usamos? /premium
04/02/2019

Mercado livre de energia busca crescimento


Formado por grandes consumidores, que podem optar de quem vão comprar energia, o mercado livre dá sinais que crescerá cada vez mais no Brasil. Além da diversificação dos interessados (em um primeiro momento, foram as grandes empresas que fizeram a migração; agora, esse leque está se abrindo), neste ano, começará a vigorar a redução dos limites de demanda para quem quiser adotar essa prática. Atualmente, quem possui demanda superior a 3 MW pode sair da rede cativa (que é alimentada por distribuidoras como a CEEE-D e a RGE) e escolher de quem vai comprar energia, independentemente da fonte selecionada (térmica, hídrica, eólica etc.). Quem tem demanda entre 0,5 MW e 3 MW também pode seguir esse caminho, mas é chamado de consumidor especial e precisa adquirir energia renovável (como eólica, biomassa ou de pequenas centrais hidrelétricas). Porém, em 28 de dezembro, o Ministério de Minas e Energia publicou a Portaria nº 514/2018, que estipulou a redução do limite de carga para a contratação de energia de qualquer tipo de fonte, o que pode baratear o custo da eletricidade. >> Quer receber notícias como esta no seu WhatsApp? Clique aqui! << Foi estabelecido que, a partir de 1 de julho de 2019, o limite reduzirá para 2,5 MW, e, a partir de janeiro de 2020, o patamar cairá novamente para 2 MW. Assim, os clientes que se enquadrarem dentro desse cenário poderão contratar tanto de fonte incentivada como convencional. Por esse e outros motivos, o diretor comercial da Comerc para a Região Sul do País, João Aramis, comenta que a perspectiva para o mercado livre neste ano é positiva. Um dos fatores que apoiam essa tese é o maior conhecimento sobre esse ambiente. "Hoje, (o mercado livre) já atinge pequenas e médias empresas, desde shoppings, hospitais a pequenos comércios", frisa o executivo. Entre os benefícios da migração, Aramis cita a previsibilidade orçamentária e a diminuição de custos. Muitas vezes, o mercado livre tem preços mais convidativos, pois é mais flexível que o cativo e os clientes têm mais maleabilidade para negociar. De acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em dezembro, o mercado livre no País era formado por 5.819 consumidores, sendo que, desse total, 4.932 eram especiais. Também atuavam nesse ambiente 270 comercializadoras. A Comerc é a maior gestora de consumidores no mercado livre, contando com mais de 900 empresas como clientes. Aramis comenta que a companhia fez um cálculo médio do que o mercado livre representou de economia para esses consumidores nos últimos anos. O levantamento apontou que, em 2015, a redução de gastos com a conta de luz foi na ordem de 32% em relação ao mercado regulado; em 2016 e 2017, o percentual foi de 23%; já os dados de 2018 ainda não foram fechados, mas a estimativa é que será algo próximo a 30%. Para quem fizer a migração, atualmente, Aramis calcula uma economia que pode variar de 15% a 30%, mas dependerá da característica de cada cliente e do custo da tarifa de energia da concessionária que o atende. O gerente de produção da MK Química, Luís Ricardo Jung, ressalta que a vantagem econômica foi determinante para a empresa migrar. Com a ação, a companhia conseguiu uma economia na ordem de R$ 414 mil no ano passado na unidade industrial situada em Portão. Com um consumo mensal energético próximo a 190 MWh, o valor representou, em 2018, uma diminuição de 34% nos gastos da indústria com a conta de luz. A empresa utiliza energia renovável para atender à demanda da planta. Revisão em encargo do setor elétrico pode refrear migrações Aramis confirma que há debate sobre mudanças no desconto da Tusd Aramis confirma que há debate sobre mudanças no desconto da Tusd /COMERC/DIVULGAÇÃO/JC Apesar do otimismo quanto ao mercado livre de energia para este ano, uma questão que vem sendo discutida no segmento pode impactar a migração para esse ambiente. O diretor comercial da Comerc para a Região Sul do País, João Aramis, confirma que existe um debate sobre mexer no desconto da Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (Tusd), um encargo do setor elétrico. Esse tema, conforme Aramis, foi tratado em uma consulta pública promovida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mas não foi submetido à aprovação ainda. O desconto na Tusd é somente para o consumidor especial que se encontra entre 0,5 MW e 3 MW e que consome de fontes renováveis. Essa medida foi implementada pelo governo federal para incentivar o desenvolvimento das fontes alternativas, como a eólica, a biomassa e pequenas centrais hidrelétricas. O subsídio, detalha o integrante da Comerc, é para o gerador, porém se estende para quem compra a energia. "Mas quando o consumidor livre deixa de pagar esse custo, isso vira tarifa para os consumidores remanescentes no ambiente regulado", frisa. O diretor da Siclo Consultoria em Energia Paulo Milano é outro que aposta que o mercado livre continuará, neste ano, vantajoso em questão de custo. No entanto, o consultor alerta que a maioria dos últimos consumidores que migraram são clientes especiais. "E para o especial vale a pena por causa do desconto na Tusd, e isso está sendo questionado", comenta. Milano adverte que basta um "canetaço" para acabar ou diminuir o subsídio. O analista ressalta que, mesmo que uma eventual mudança de regra não afete as empresas que já fizeram a migração, a medida brecaria o mercado futuro. Procurada pela reportagem do Jornal do Comércio, a Superintendência de Gestão Tarifária (SGT) da Aneel, informou que "o desconto na Tusd para os consumidores especiais é disciplinado pela legislação, portanto não iremos revê-lo". Enquanto nada muda no mercado dos consumidores livres, as migrações continuam. O diretor-presidente da Hidrofiltros, Cláudio Chaves, ressalta que o ingresso nesse ambiente aumentou a competitividade da empresa. A companhia alcançou economia de 5% a 8% com a decisão, e essa redução possibilita que tenha mais fôlego para voos mais altos. A empresa, em sua unidade em Caixas do Sul, vai ampliar a produção de elementos filtrantes em 40%, além de aumentar seus estoques de tanques e válvulas para aplicação em projetos de tratamento de água. Para atingir essa meta, Chaves estima que será necessário investir de R$ 1,3 milhão a R$ 1,5 milhão. O executivo salienta, ainda, que compra energia renovável e colocou um selo nos seus produtos para ressaltar esse ponto para os seus clientes. A Pucrs também foi outra a adotar o mercado livre, ingressando nessa área em abril do ano passado. A energia contratada atende ao campus universitário (incluindo Tecnopuc) e ao Hospital São Lucas. Não abrange o Tecnopuc Viamão. Outro complexo simbólico de Porto Alegre que consumirá, a partir de março, energia no mercado livre será o estádio Beira-Rio.
 
Jornal do Comércio – por Jefferson Klein (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2019/01/667674-mercado-livre-de-energia-busca-crescimento.html)
logotipo zepol