União Seguradora - 55+ (51) 3061-9606

notícias

17 jul Aspecir Previdência completa 82 anos com os melhores resultados do mercado
15 jul Aspecir Previdência tem o maior rendimento em fundos de renda fixa nos últimos tempos
15 jul Arquivos de mídia no WhatsApp e Telegram podem não ser tão seguros
15 jul Benefício menor exigirá planejamento financeiro de famílias
15 jul INSS: É possível ter mais de uma aposentadoria?
5 jul Caderno Finanças Mais, do Estadão, traz especial sobre empresas do setor financeiro, com destaque para o setor segurador
5 jul Mais acessíveis, seguros de vida ganham espaço no mercado
5 jul Susep promete mais ?espaço? para o mercado crescer
1 jul União amplia relacionamento com MTG/RS
28 jun A 88i é um app de serviços digitais para a contratação de seguros e assistências
28 jun Liquidação extrajudicial não autoriza instituição a levantar valores depositados em cumprimento de sentença
28 jun Para cálculo da renda inicial de previdência complementar, prevalecem regras da época da aposentadoria
28 jun "Há 4 anos fiz um VGBL para minha filha e todo mês aplico R$ 130. Vale a pena manter esse investimento?"
24 jun União Seguradora contempla MG com prêmio de Capitalização
24 jun Saiba por quanto tempo guardar comprovantes e notas fiscais
24 jun Ecossistemas digitais: juntos vamos mais longe
24 jun Banco digital acelera expansão e testa fôlego do segmento
21 jun Setor segurador registra alta de 4,9% no acumulado até abril
21 jun Susep anuncia avanços expressivos para a inovação em seguros
21 jun CIAB: mercado segurador vive o estágio de Reinvenção Digital
21 jun Os aspectos da Nova Previdência e os impactos na sociedade e no seguro
19 jun Setor segurador registra alta de 4,9% no acumulado até abril
19 jun Aumenta participação de ?Insurtechs? no setor de seguros
19 jun Previdência Privada: até qual idade aderir?
18 jun União entrega mais um prêmio de capitalização
17 jun Créditos de PIS e COFINS ? Insumos EPIs, Emplacamento e Seguro
17 jun O corretor não é o vilão. O vilão não está na comissão
17 jun Aposentar somente pelo INSS é suficiente? Saiba mais sobre a Previdência Privada
17 jun 65% das pessoas que guardam dinheiro escolhem poupança, diz pesquisa; medo e costume estão entre as justificativas
12 jun Grupo Aspecir em Belo Horizonte
7 jun Presidente do Grupo Aspecir recebe Comenda Metropolitana
7 jun União Seguradora entrega prêmio
5 jun Uso da tecnologia traz benefícios para o mercado de seguros
5 jun Susep alerta Corretor sobre Riscos Excluídos
5 jun Instituições financeiras podem explorar sistemas bancários integrados para oferecer serviços digitais seguros, diz Unisys
5 jun A Importância da Importância do Corretor de Seguros
24 mai No mês da conscientização no trânsito, confira dicas para evitar acidentes
24 mai Entenda como funciona a previdência complementar no Brasil
24 mai Setor tem números positivos até março de 2019 e provisões técnicas avançam 10%
24 mai Susep nomeia diretores
20 mai Combate a fraude no Seguro DPVAT
20 mai Previdência privada: reservas atingem R$ 857 bilhões
20 mai Previdência aberta terá R$ 1 trilhão em patrimônio até o final deste ano
20 mai Empresas com investimentos represados
17 mai Diretor comercial do Grupo MBM assume mandato na FenaPrevi
17 mai Setor de seguros brasileiro vê explosão de startups
17 mai Seguro contra inadimplência tem alta de 25,5% no primeiro trimestre do ano
17 mai Como criar aplicativos 100% seguros?
15 mai ?A empresa onde trabalho tem plano de previdência privada com coparticipação. Vale a pena??
15 mai Maio Amarelo: conheça a campanha nacional de 2019
15 mai China vai abrir ainda mais os setores bancários e de seguros
15 mai Nova norma para insurtechs deve sair em 30 dias, diz Solange Vieira, da Susep
3 mai Insurance, conheça todos os detalhes sobre os seguros
3 mai Seguradora Líder promove encontro com Sindicatos das Seguradoras de todo o Brasil
3 mai Mitos e verdades sobre a previdência privada
3 mai Previc e Susep apresentam propostas para fusão das reguladoras de previdência
26 abr Levy diz que reforma pode favorecer investimentos em infraestrutura
26 abr Reforma aumenta a procura por previdência privada no Vale do Paraíba
26 abr Reforma da Previdência reduz subsídios para ricos, diz secretário
24 abr Cotação Premiada de Páscoa
23 abr Previdência com seguro?
23 abr IR 2019: Seguro obrigatório de carro DPVAT é isento, mas deve ser informado
23 abr Aproveite a segunda-feira para investir e planejar seu futuro
23 abr Ramo de pessoas deve impulsionar crescimento do mercado de seguros em 2019
18 abr Plano de previdência privada é impenhorável, decide TRT-2
18 abr Tem previdência privada? Saiba como declarar valores no Imposto de Renda
18 abr Procura por seguros cresce no primeiro trimestre e demonstra preocupação do brasileiro com a insegurança
18 abr Crescimento do seguro de vida no setor audiovisual
15 abr Executivos explicam segredo para crescimento de 171,19% da União Seguradora
12 abr Volta à Câmara projeto que exige de corretor de seguros habilitação da Susep
12 abr Uma providência para a previdência privada
12 abr Você conhece os benefícios de investir em uma previdência privada?
12 abr O acordão da Previdência
10 abr Relatório Anual 2018 da Seguradora Líder é destaque na mídia
10 abr Seguro de vida: STJ afirma que seguradoras devem provar má-fé de seus clientes para recusar benefício
10 abr Aposentadoria Privada x Aposentadoria Pública: Qual escolher?
10 abr Minoria poupa ou tem investimento para a velhice, aponta Datafolha - Folha de S. Paulo
8 abr Seguradora Líder promove treinamentos e encontros com foco no atendimento aos beneficiários do Seguro DPVAT
8 abr O seguro é mais seguro
8 abr Diretores da Susep são exonerados
8 abr Lei de proteção de dados para o mercado de seguros
5 abr Os benefícios de investir em uma previdência privada
5 abr Mercado cresceu 4,4% no primeiro bimestre
5 abr Indenização do seguro precisa ser declarada no imposto de renda
5 abr Superintendente da Susep diz que mercado é ?gigante?
4 abr União Seguradora prestigia lançamento do Seguro Viagem da Lato Seguros
2 abr População com mais de 60 cresce e movimenta cerca de R$ 1 trilhão
2 abr Valor publica especial sobre Previdência Aberta
2 abr SUSEP divulga novas regras para segmento de seguro
2 abr Você conhece os benefícios de investir em uma previdência privada?
18 mar Pesquisa diz que 56% dos brasileiros vão contar apenas com o INSS
18 mar Como começar a investir em uma renda variável?
18 mar Devo ficar no plano corporativo de previdência após demissão?
18 mar IFRS 17 promove transformação no segmento de seguros
13 mar Seguro de vida é plano de risco que mais cresce em razão da violência
13 mar Previdência privada perdeu 224 mil participantes
13 mar Empresários projetam ano com avanço lento em encontro no Marcas de Quem Decide
13 mar Previdência privada é opção para quem planeja bem o futuro
8 fev As principais tendências e expectativas de crescimento do mercado de seguros para 2019
8 fev Planejamento da aposentadoria: muito além da reforma
8 fev Mercado de seguros tem lucro de R$ 14,7 bilhões
8 fev Proposta da previdência concede aposentadoria básica de até 700 reais para todas as pessoas
6 fev Como garantir seu futuro investindo na previdência privada?
6 fev Com reforma da Previdência como prioridade, governo adia promessas
6 fev Nove a cada dez brasileiros aposentados dependem do INSS pra sobreviver
6 fev Proposta para a Previdência prevê aposentadoria integral para servidor só aos 65 anos
4 fev Mercado livre de energia busca crescimento
03/05/2019

Insurance, conheça todos os detalhes sobre os seguros


O que é seguro ou insurance? Como funciona? quais são os componentes da apólice de seguros? prêmios, limites, entre outros detalhes importantes você vai conferir neste artigo.

O que é seguro ou insurance

Seguro é um contrato, representado por uma política, na qual um indivíduo ou entidade recebe proteção financeira ou reembolso contra perdas de uma companhia de seguros. A empresa agrupa os riscos dos clientes para tornar os pagamentos mais acessíveis para os segurados.
Apólices de seguro são usadas para proteger contra o risco de perdas financeiras, grandes e pequenas, que podem resultar de danos ao segurado ou a sua propriedade, ou de responsabilidade por danos ou prejuízos causados ??a terceiros.

Entendendo como funciona o seguro

Há uma infinidade de tipos diferentes de apólices de seguros disponíveis, e praticamente qualquer indivíduo ou empresa pode encontrar uma companhia de seguros disposta a assegurá-los, por um preço. Os tipos mais comuns de apólices de seguro pessoal são auto, saúde, proprietário e vida. A maioria dos indivíduos nos Estados Unidos tem pelo menos um desses tipos de seguro, e o seguro de carro é exigido por lei. As empresas exigem tipos especiais de apólices de insurance que asseguram tipos específicos de riscos enfrentados por um determinado negócio. Por exemplo, um restaurante de fast food precisa de uma política que cubra danos ou ferimentos que ocorram como resultado da cozedura com uma fritadeira. Um revendedor de automóveis não está sujeito a esse tipo de risco, mas exige cobertura para danos ou ferimentos que possam ocorrer durante os test drives. Há também apólices de seguro disponíveis para necessidades muito específicas, como sequestro e resgate (K & R), negligência médica e seguro de responsabilidade profissional, também conhecido como insurance contra erros e omissões.

Componentes de apólice de seguro

Ao escolher uma política, é importante entender como o seguro funciona.
[Importante: Três componentes cruciais das apólices de seguro são o prêmio, o limite da apólice e a franquia.]
Uma compreensão profunda desses conceitos ajuda muito na escolha da política mais adequada às suas necessidades.

Prêmio
O prêmio de uma política é seu preço, normalmente expresso como um custo mensal. O prêmio é determinado pela seguradora com base no seu perfil de risco ou no da sua empresa, o que pode incluir credibilidade. Por exemplo, se você possui vários automóveis caros e tem um histórico de condução imprudente, provavelmente pagará mais por uma apólice de automóveis do que alguém com um único sedã intermediário e um registro de direção perfeito. No entanto, diferentes seguradoras podem cobrar prêmios diferentes por políticas semelhantes; Então, encontrar o preço certo para você requer algum trabalho.

Limite da Apólice de insurance

O limite da apólice é o valor máximo que uma seguradora pagará em uma apólice por uma perda coberta. Os máximos podem ser definidos por período (por exemplo, termo anual ou de política), por perda ou dano, ou durante a vida da apólice, também conhecido como o tempo de vida máximo. Normalmente, os limites mais altos têm prêmios mais altos. Para uma apólice de seguro de vida em geral, o valor máximo que a seguradora pagará será chamado de valor nominal, que é o valor pago a um beneficiário após a morte do segurado.

Dedutível ou franquia

A franquia é um valor específico que o tomador deve pagar diretamente antes de a seguradora pagar uma reclamação. Franquias servem como impedimentos para grandes volumes de pequenas e insignificantes reivindicações. As franquias podem se aplicar por apólice ou por reivindicação, dependendo da seguradora e do tipo de apólice. Políticas com franquias muito altas são normalmente menos dispendiosas porque a alta despesa extra geralmente resulta em menos sinistros menores.

Considerações especiais sobre insurance

Especial No que diz respeito ao seguro de saúde , as pessoas que têm problemas crônicos de saúde ou precisam de cuidados médicos regulares devem procurar políticas com franquias mais baixas. Embora o prêmio anual seja maior do que uma política comparável com um acesso dedutível, mais barato e menos dispendioso aos cuidados médicos ao longo do ano, pode valer a compensação.

Principais coberturas

Seguro é um contrato (apólice) no qual uma seguradora indeniza outra contra perdas de contingências e / ou perigos específicos.
Existem muitos tipos de apólices de seguro. Vida, saúde, proprietário e automóvel são as formas mais comuns de seguro.
Os componentes que compõem a maioria das apólices de seguro são dedutíveis, limite de apólice e prêmio.

Aspectos históricos dos seguros

Os métodos de transferência ou distribuição de risco eram praticados por comerciantes chineses e babilônicos , tanto no terceiro quanto no segundo milênio aC, respectivamente. [Comerciantes chineses viajando por corredeiras traiçoeiras redistribuiriam suas mercadorias através de muitos navios para limitar a perda devido ao emborcamento de qualquer embarcação. Os babilônios desenvolveram um sistema que foi registrado no famoso Código de Hamurabi , c. 1750 aC, e praticado pelos primeiros comerciantes de vela do Mediterrâneo. Se um comerciante recebesse um empréstimo para financiar sua remessa, ele pagaria ao credor uma quantia adicional em troca da garantia do credor para cancelar o empréstimo, caso a remessa fosse roubada ou perdida no mar.

Por volta de 800 aC, os habitantes de Rodes criaram a ” média geral “. Isso permitia que grupos de comerciantes pagassem para garantir que seus produtos fossem enviados juntos. Os prêmios cobrados seriam usados ??para reembolsar qualquer comerciante cujos bens fossem descartados durante o transporte, seja devido a tempestades ou ao escoamento.

Contratos de insurance separados (ou seja, apólices de seguro não vinculadas a empréstimos ou outros tipos de contratos) foram inventados em Gênova no século XIV, assim como os grupos de seguros respaldados por promessas de propriedades fundiárias. O primeiro contrato de seguro conhecido data de Gênova em 1347 e, no século seguinte, o seguro marítimo foi amplamente desenvolvido e os prêmios foram intuitivamente variados com os riscos. [Esses novos contratos de seguro permitiram que o seguro fosse separado do investimento, uma separação de funções que se mostraram úteis no seguro marítimo.

Seguro moderno

O seguro tornou-se muito mais sofisticado na era iluminista da Europa , e variedades especializadas foram desenvolvidas.
O seguro de propriedade que conhecemos hoje pode ser atribuído ao Grande Incêndio de Londres , que em 1666 devorou ??mais de 13.000 casas. Os efeitos devastadores do incêndio converteram o desenvolvimento do seguro “de uma questão de conveniência para uma de urgência, uma mudança de opinião refletida na inclusão de Sir Christopher Wren de um local para” o Escritório de Seguros “em seu novo plano para Londres em Londres. 1667. “Uma série de tentativas de esquemas de seguro de incêndio não deu em nada, mas em 1681, o economista Nicholas Barbone onze associados estabeleceram a primeira companhia de seguros de incêndio, o “Escritório de Seguros para Casas”, na parte de trás do Royal Exchange, para garantir casas de tijolo e armação. Inicialmente, 5.000 residências foram seguradas pelo seu escritório de seguros. [5]

Ao mesmo tempo, os primeiros esquemas de seguro para a subscrição de empreendimentos comerciais tornaram-se disponíveis. No final do século XVII, a crescente importância de Londres como centro de comércio aumentava a demanda por seguro marítimo . No final da década de 1680, Edward Lloyd abriu um café , que se tornou o ponto de encontro de festas na indústria naval que pretendiam segurar cargas e navios, e aqueles dispostos a subscrever tais empreendimentos. Esses inícios informais levaram ao estabelecimento do mercado de seguros Lloyd’s of London e de vários negócios de transporte e seguros relacionados. [6]

As primeiras apólices de seguro de vida foram tiradas no início do século XVIII. A primeira empresa a oferecer seguro de vida foi a Sociedade Amigável para um Escritório de Garantia Perpétua , fundada em Londres em 1706 por William Talbot e Sir Thomas Allen . [7] [8] Edward Rowe Mores estabeleceu a Sociedade para Garantias Equitativas sobre Vidas e Sobrevivência em 1762. Foi a primeira seguradora mútua do mundo e foi pioneira em prêmios baseados em idade com base na taxa de mortalidade que estabelece “a estrutura para prática e desenvolvimento de seguros científicos” e “a base da garantia de vida moderna sobre a qual todos os planos de seguro de vida foram baseados posteriormente”. [9] No final do século 19, o “seguro contra acidentes” começou a se tornar disponível. A primeira empresa a oferecer insurance contra acidentes foi a Railway Passengers Assurance Company, formada em 1848 na Inglaterra para garantir o número crescente de mortes no sistema ferroviário nascente . No final do século XIX, os governos começaram a iniciar programas nacionais de seguro contra a doença e a velhice. A Alemanha construiu uma tradição de programas de bem-estar na Prússia e na Saxônia, que começou na década de 1840. Na década de 1880, o chanceler Otto von Bismarck introduziu pensões de velhice, seguro de acidentes e assistência médica que formaram a base para o estado de bem-estar da Alemanha. Na Grã-Bretanha, uma legislação mais extensa foi introduzida pelo governo liberal na Lei de Insurance Nacional de 1911 . Isso deu às classes trabalhadoras britânicas o primeiro sistema contributivo de seguro contra doenças e desemprego. [13]Este sistema foi grandemente expandido após a Segunda Guerra Mundial, sob a influência do Relatório Beveridge, para formar o primeiro estado de bem-estar moderno.

Efeitos sociais

O seguro pode ter vários efeitos na sociedade pela forma como muda quem suporta o custo das perdas e danos. Por um lado, pode aumentar a fraude; por outro, pode ajudar sociedades e indivíduos a se prepararem para catástrofes e mitigar os efeitos de catástrofes tanto em domicílios quanto em sociedades.

O insurance pode influenciar a probabilidade de perdas por meio de risco moral , fraude de seguros e medidas preventivas pela seguradora. Os estudiosos do seguro costumam usar o risco moral para se referir ao aumento da perda devido a descuido não intencional e à fraude do seguro para se referir ao aumento do risco devido a descuido ou indiferença intencional.

As seguradoras tentam lidar com o descuido por meio de inspeções, disposições de políticas que exigem certos tipos de manutenção e possíveis descontos para esforços de mitigação de perdas. Embora, teoricamente, as seguradoras possam encorajar investimentos em redução de perdas, alguns comentaristas argumentam que, na prática, as seguradoras não haviam adotado medidas de controle de perdas – particularmente para evitar perdas por desastres como furacões – devido a preocupações com reduções de taxas e batalhas judiciais.

No entanto, desde 1996, as seguradoras começaram a assumir um papel mais ativo na mitigação de perdas, como por meio de códigos de construção.

Fonte: AGRONEWS BRASIL, com informações da Investopedia
logotipo zepol