União Seguradora - 55+ (51) 3061-9606

notícias

11 out Dia da Criança
11 out Dia do Securitário
10 out Planejamento Financeiro e Previdência Privada
10 out Cresce número de consumidores que poupam acima de R$ 50 para os filhos, diz Boa Vista SCPC
10 out Ibovespa cai mais de 2%; investidor repercute declarações de Bolsonaro
10 out Dicas de Planejamento Pessoal
8 out Investidores devem ser conservadores com dinheiro nos próximos 180 dias
8 out Barreira cultural é principal desafio para assinatura eletrônica no Brasil
8 out Seguradoras adotam o uso de tecnologia 'vestível' para criar descontos
8 out Os melhores planos de previdência privada, segundo a Proteste
3 out Seguro de vida empresarial também é vantagem para o executivo
3 out Setor privado prepara projeto de reforma da Previdência para presidente eleito
3 out Congresso destaca oportunidades de negócios e função social dos corretores de vida e previdência privada
3 out CNSeg enviou documento aos presidenciáveis às vésperas das eleições
28 set Seguro de vida em grupo é disseminado, mas pode ser melhor apresentado
28 set Plano VGBL é porta de entrada na previdência
28 set Como negociar ao contratar um plano de previdência?
28 set Assistência digital de Seguradora chega ao Google Assistente e oferece vários serviços exclusivos
24 set Dívida Pública Federal sobe 0,98% em agosto para R$ 3,785 tri, diz Tesouro
24 set Economia de partilha. ?Vamos largar esta ideia de que temos de ser donos de tudo o que usamos? /premium
24 set XP lança robô para recomendar investimentos
24 set Competição em taxas é acirrada nos bancos
17 set União Seguradora comemora 105 anos no Acampamento Farroupilha
17 set Previdência: um dia você vai precisar dela
17 set Mercado segurador cresce apesar da instabilidade política
17 set Primeira turma do Programa Recomeço, desenvolvido pela Seguradora Líder, conclui qualificação
14 set União Seguradora comemora 105 anos.
12 set Seguro DPVAT: de janeiro a julho, Seguradora Líder identificou mais de 6,7 mil pedidos indevidos
12 set Confira os estados onde há vencimento do Seguro DPVAT no mês de setembro
12 set Resseguradores se reúnem em Mônaco; Swiss Re divulga estudo
12 set Projeto de Lei atribui novas responsabilidades à autorreguladora do mercado
10 set 'Pé de meia': confira o melhor investimento para cada fase da vida
10 set Processos Ágeis transformam modelo de negócios no setor de seguros
10 set 5 diferenciais para o corretor de seguros dos dias de hoje
10 set Transformação digital impõe desafios para lideranças do setor de tecnologia das seguradoras
4 set Reforma política coloca o benefício da previdência em pauta
4 set Segundo estudo, apenas 19% dos Brasileiros tem seguro de vida. Especialista dá dicas e ensina corretores de todo Brasil a escalarem seus negócios
4 set Poupança ainda é o investimento preferido do brasileiro
4 set Como o envelhecimento mudou nos últimos 20 anos
4 set Rombo da Previdência é de R$ 35 milhões e o déficit mensal do Paço atinge R$ 20 mi?
29 ago Transformação digital nos seguros: o suco de laranja e a redescoberta do risco
29 ago Mitos e Verdades da Previdência
29 ago Seguro ambiental obrigatório aprovado pela nova lei será um diferencial estratégico para as empresas
29 ago Apenas 18% dos brasileiros pouparam em junho, diz indicador da CNDL
24 ago Confira os investimentos que podem ajudar você a ter uma aposentadoria tranquila
24 ago Por que o brasileiro não pensa em aposentadoria; e como investir para chegar lá
24 ago Projeto permite que corretores de seguros atuem em licitações públicas
24 ago 5 sinais de que o mercado de ICO voltará a crescer
22 ago Que aposentadoria escolher
22 ago Setor cresce 1,7% no primeiro semestre
22 ago Corretores e seguradoras terão novas regras para guarda de documentos
22 ago Inteligência artificial promete ajudar Seguradora Líder a reduzir fraudes no DPVAT
20 ago Previdência: um dia você vai precisar dela
20 ago De cada R$ 3 previstos no orçamento da União, R$ 1 será para rolar a dívida
20 ago Faça as contas: ao aposentar, só se dá bem quem planeja
20 ago Princípios do seguro e temas polêmicos do STJ foi tema de evento da ANSP
16 ago União Seguradora é parceira da CIEPIBRAS
16 ago União realiza treinamento para a CredCorreios
16 ago Destaques do Mercado de Seguros de Vida e Benefícios
16 ago Susep publica esclarecimento sobre cláusula 'anticorrupção' em seguro garantia...
13 ago Gestão da arrecadação tributária na Receita Municipal de Porto Alegre é destaque em evento na capital
13 ago As novas gerações têm os pés no chão!
13 ago Previdência privada é uma excelente opção para garantir melhor qualidade de vida no futuro
13 ago É preciso construir o hábito de poupar para a aposentadoria
8 ago GDPR provoca revolução na proteção de dados
8 ago O que Saber Antes de Contratar um Seguro de Vida?
8 ago Porto Alegre: Criação da Previdência Complementar é aprovada pelo plenário
8 ago Pais contribuem R$ 231 por mês em previdência para crianças e adolescentes
6 ago Procura por previdência privada em Minas tem alta de 11%
6 ago Herança: quem tem direito de ficar com o valor da previdência privada?
6 ago A grande mudança para um seguro mais honesto e mais justo
23/07/2018

Consulta ao INSS, agora, só com hora marcada ou via internet


Um dos objetivos das restrições às consultas é reduzir tempo de espera nas agências físicas

Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) implantou um novo modelo de atendimento que pretende reduzir as filas dos interessados em dar início ao processo de aposentadoria nas agências, levando o restante do fluxo basicamente para a internet.
 
O segurado que quiser pedir um extrato de benefícios ou dados de seu Cadastro Nacional de Informações Sociais, o CNIS, não poderá mais simplesmente ir até o INSS, como fazia, para consultar um especialista. Desde a semana passada, as informações deverão ser levantadas pelo portal "Meu INSS" ou por meio de um agendamento prévio para atendimento nos postos da Previdência. O segurado que quiser pedir um extrato de benefícios ou dados de seu Cadastro Nacional de Informações Sociais, o CNIS, não poderá mais simplesmente ir até o INSS, como fazia, para consultar um especialista. Desde a semana passada, as informações deverão ser levantadas pelo portal "Meu INSS" ou por meio de um agendamento prévio para atendimento nos postos da Previdência.
 
A ideia é um avanço, se comparada à época em que era preciso ir de madrugada para uma fila para garantir o atendimento. Mas, na prática, o novo serviço ainda precisa ser aperfeiçoado para cumprir de fato a missão de facilitar a vida do segurado.
 

Dificuldades

Para começar, o portal "Meu INSS" não é simples de ser consultado. Para ter acesso ao CNIS e para a maioria de outros dados é preciso entrar no www.meu.inss.gov.br , ou pelo site do próprio INSS (www.inss.gov.br).
O segurado terá de informar dados pessoais como nome, CPF, data de nascimento, nome da mãe, e local de nascimento. Pode parecer fácil, mas não é.
Qualquer letra fora de lugar, qualquer data diferente da que esteja na base de dados da Previdência, já é o suficiente para o sistema impedir que o segurado consiga a sua senha. Mas isso nem chega a ser a maior dificuldade, porque depois de informar seus dados pessoais, o segurado terá de responder a uma sequência de questões e com precisão, porque com mais de um erro não há continuidade no cadastro.
São informações que variam de acordo com a situação específica do segurado, mas que nem sempre estão à mão ou na sua memória. Em que ano houve a última contribuição individual feita por meio de carnê, ou em que ano a empresa em que trabalhou fez a última contribuição à Previdência, ou ainda qual o salário que você recebeu em seu último emprego são algumas dessas perguntas.
Em não raras vezes, aparecem mensagens como "login e senha incorretos", "não foi possível buscar as informações", "ocorreu um erro ao buscar seus benefícios", "segurado inexistente na base de dados" e assim por diante.
Quem tem uma explicação para o problema é o atuário Newton Cezar Conde, sócio-diretor da Conde Consultoria Atuarial, empresa especializada no desenvolvimento de planos de previdência privada para os fundos de pensão.
"O problema não está na senha, está no sistema. Afinal, a Previdência possui mais de 30 milhões de segurados. O sistema está congestionado", diz. "Você entra com a senha em um dia e no outro, recebe a informação que a senha está errada, aí tem de aguardar pelo menos mais um dia para conseguir registrar uma nova senha."
Para evitar ficar preso a essa "saga", o especialista recomenda tentar entrar no portal no período da noite, quando a demanda é menor e, portanto, as chances de conseguir o acesso são maiores.
A segurada Mara de Camargo Fernandes vem contribuindo como autônoma e esteve na agência do INSS para verificar se os recolhimentos estão sendo processados corretamente. Nesse momento, recebeu as orientações e uma senha para acessar de casa suas informações. "Isso vai facilitar a minha vida e fiquei sabendo que vou poder também fazer uma simulação de quanto tempo ainda falta para eu me aposentar."
Em São Paulo, as agências do INSS prepararam um roteiro por escrito, que é entregue para auxiliar a navegação no site, por reconhecerem as dificuldades dos segurados. Em Brasília, a assessoria de imprensa diz que o sistema está em constante aperfeiçoamento.

CNIS

Uma das maiores demandas nos postos está relacionada com informações do CNIS. Trata-se de um documento de relevância para qualquer trabalhador que pretende um dia se aposentar pelo INSS. Ter acesso a ele com alguns cliques é ter controle sobre o que poderá ser sua fonte de renda no futuro.
São os dados do CNIS que valem e serão considerados para a concessão de benefícios. Ou seja: é a partir dele que o INSS vai definir se o segurado tem direito ou não de se aposentar, qual o valor da aposentadoria e assim por diante.
Esse cadastro traz o tempo de trabalho e de contribuição, inclusive quando o segurado recolheu como contribuinte individual e facultativo, datas de admissão e rescisão de contrato de trabalho, identificação do empregador, períodos em que trabalhou em determinada empresa, remuneração recebida e valores do recolhimento. É um histórico completo.
O advogado Carlos Alberto Vieira de Gouveia, presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB-SP, também acredita que o sistema deveria facilitar a vida do segurado, trazendo um verdadeiro banco de dados, com cadastro único do trabalhador. Ele diz que o CNIS contém erros e o segurado deve acompanhar de perto os dados para corrigi-los rapidamente. "Basta a empresa ter feito o recolhimento do INSS com um mês de atraso para que não conste no CNIS."
Segundo a Previdência Social, a correção deve ser feita de imediato para que, no momento da aposentadoria, o histórico esteja correto.

Fonte: Isto É por Regina Pitoscia, Especial para o Estado
logotipo zepol